sábado, 21 de maio de 2016

VILA QUEIMADA/ PONTE DO SALTO - QUELUZ / REVOLUÇÃO DE 1932

Ontem na companhia de um amigo, estivemos novamente tentando localizar os  lugares onde ocorreram os combates da Revolução de 1932 em Queluz SP, especialmente nos citados na narrativa de Paulo Duarte no livro Palmares pelo Avesso. Chegamos a conclusão de que o lugar que tínhamos como sendo o da Vila Queimada estava correto, porém aquela Vila Queimada descrita pelo autor como sendo uma fazenda com uma casa grande cercada de diversas casinhas, a muito não existia mais, o lugar progrediu e deixou de ser uma fazenda e passou a ser uma vila próspera com muitas casas e moradores, tendo havido até mesmo um laticínio, e com isso foi construído uma balsa com cabos para atravessar o rio Paraíba e trazer a produção de leite que vinha do outro lado do rio. Com o passar dos anos e com o fim da linha de trem de passageiros tudo entrou em decadência, e por fim com a ocupação do que restava por operários que trabalharam no plantio de eucaliptos, veio o abandono e a  ruína total que vê nos dias de hoje.
Passando para  o Morro da Pedreira, trincheira feita pelos paulistas para defender o QG instalado na Vila, buscamos o máximo de informações via fotos de satélite e relatos dos moradores, procuramos um morro que ficasse perto de Vila Queimada e que desse a quem estivesse no  alto uma visão privilegiada da linha férrea, e que tivesse grandes formações rochosas. Todas as informações nos levaram a um morro perto de uma represa de um  pequeno córrego que descia uma grota bem funda , nos embrenhamos na mata e passamos a subir o tal morro chegando no cume verificamos que o morro tinha mesmo muitas pedras na sua base mas ele havia sido cortado ao meio para evitar a erosão que ameaçava a linha de trem. portanto chegamos a conclusão de que o morro da Pedreira de épicos combates entre paulistas e ditatoriais, de muito sangue e sofrimento mas também carregado de heroico idealismo constituinte já não existe mais e o Morro da  Pedreara que resistiu a tudo e a todos em 1932, veio a sucumbir ao progresso dos dias de hoje.
Vamos agora a Ponte do Salto chegamos até bem próximo a ela porém o rio estava "alto" e impossibilitou- nos de chegar até a sua  cabeceira, mas ficamos sabendo que o leito da antiga ferrovia Central do Brasil ainda esta lá, não tendo sido ele submerso pelas águas da Represa do Funil, e tão logo conseguirmos atravessar o rio poderemos chegar até onde foi o lugar original da Estação Bianor e da mítica trincheira Vala Suja onde o trem Blindado paulista metralhou diversos soldados paulistas num episodio de "fogo amigo". Por fim ficamos intrigados com a afirmação de um morador de que a estação Engenheiro Bianor havia sido desmontada a pouco mais de uma semana da  margem da linha nova, a descrição do mesmo morador a respeito da aparência da estação confere totalmente com as fotos antigas, portanto nos levou a concluir de ela teria sido desmontada na época da mudança do trajeto da linha e posteriormente montada na linha atual, mas infelizmente chegamos um pouco tarde e ela se foi, não se sabe para onde.
Com tudo isso, nossa expedição foi amplamente positiva pois além do prazer de investigar algo tão interessante ficou a possibilidade de chegarmos ao vilarejo do Salto e de sua ponte,  onde em 1932 os paulistas barraram os ditatoriais que vinham do Rio de Janeiro e podermos chegar na posição original da estação Engenheiro Bianor e da trincheira Vala Suja.

Ruínas de Vila Queimada/Queluz- SP

 Depois de muitas buscas e de percorrer um extenso trajeto chegamos a conclusão de que este é o ponto onde  tem a maior possibilidade de ter abrigado a trincheira conhecida pelos soldados constitucionalistas por Pedreira.



 Lugar bem próximo a onde ficava a antiga ponte do Salto.

Não localizamos nenhuma trincheira, se alguém tiver alguma informação que nos possa ser útil na localização destes lugares históricos da Revolução de 1932 em Queluz - SP peço que nos ajude.

3 comentários:

  1. Olá, eu conheço lugares estratégicos... e podemos lhe ajudar!

    ResponderExcluir
  2. Olá, eu conheço lugares estratégicos... e podemos lhe ajudar!

    ResponderExcluir